19 novembro 2009



Respondendo a J.:
Eu nem consigo achar coisa nenhuma.





















Ig
reja de S. Francisco Xavier, Restelo
Arquitecto Troufa Real
Em constrão


9 comentários:

OGC disse...

Desculpem, quando (tiver tempo para) digerir isto comento de outra forma.

joana. disse...

ó! c'est pas possible!!?

Voltaire disse...

...

...

wtf?? :O

isto é onde exactamente? ...k confusão, ké k se passa? andamos a querer dar nas vistas com coisas destas? é k fere a vista e não é pco... as cores, a escala, proporção entre elementos, onde é a igreja, k é o resto?

isto é a tal arq co távora dizia...delapida espaço e é feita para o ego do senhor arq, mas plo amor, ele k n se orgulhe disto... :O

akele barco...k se segue? um banco com forma de saco de dinheiro com sifrão no meio? um stand com forma de carro?

Voltaire disse...

(EDIT arq.Troufa Real ao jornal público:

"A minha arquitectura está ligada ao mundo do fantástico, é de raiz simbólica. Não sou um arquitecto moderno, sou antimoderno", explica o autor do projecto, considerando que colegas seus, como Teotónio Pereira (que classificou, ontem, no PÚBLICO, este projecto uma "aberração"), não compreendem a sua linguagem. "Odeiam o simbolismo do antigo império. É um bando de velhos, autênticos talibãs da arquitectura que não se reciclaram e não percebem o que se está a passar no mundo", acusa. E volta à carga: "Odeiam outras culturas. Só sabem fazer peixe podre, peixe passado".)

Marys' disse...

OMG!
lool


quando vi esta obra pela primera vez fiquei chocadissima! lol! Pareceu-me uma fotomontagem feita sem qualquer nexo. Mas depois, pus a hipotse de estar a ser conservadora e porque não uma igreja assim? Mas voltei a pensar e... não! lol
Esta obra, como já tive a falar co lando, só demonstra sede de protagonismo. Este arquitecto pertence à geração dos grandes arquitectos da escola do porto, mas confesso que até agora nunca tinha ouvido falar dele. Esta atitude tem tudo de sede de protagonismo!

Ouvi agora na tv uma noticia sobre a reação do arq a todas estas criticas e ele diz que é um surrealista! Pois para mim, isto de surralista tem muito pouco. Eu compreendo que o arq. queira criar um conceito, partindo de uma imagem de referencia, neste caso a caravela, ou o barco. Presumo,uma referência à epoca dos Descobrimentos por parte dos Portugueses (Sergio, ouvi à algum tempo, que a igreja ia ser construida na zona de Belem). Mas o papel do arquitecto não é chapar essa imagem na obra! As referecias devem ser feitas a nivel conceptual e não a nivel formal! Por exemplo, a obra do Frank Gehry, "Ginger and Fred", en Praga.(vejam vejam é muito bonita!) esta obra é uma referencia a dois actores dançarinos e o edificio que o Gehry cria mostra precisamente isso! Mas de uma forma abstrata e não de uma forma directa. Aqui é que está a beleza da arquitectua! É por isso que é difícil e complexa! Reproduzir formas não é nenhum desafio! O Troufa Real tem outra obra,"bandeira Habitada". E o que faz ele? Cria dois volumes, um pinta de verde e outro de vermelho e pronto! Aqui está a bandeira habitada! Eu sei que não sou ninguém neste mundo da arquitectura, mas isto NÃO é arquietctura!!!!! lol!

Confesso que esta obra faz-me comichões! (como já se deve ter percebido)lol!

Outra coisa que ele diz nesta resposta às criticas, que ouvi agora é que gosta do Kish e do piroso. Confesso que isto é outra coisa que me põe em pulgas! lol! Mas onde eu queria chegar, e fica aqui a deixa para uma possivel discussão, é que alguém disse que uma igreja não devia ser assim! Será que não devia? Porrque não? Não diria esta aberração, mas porque as igrejas serem sempre as coisas "pacificas" (por exemplo a nova igreja de Fátima. Eu percebo que as igrejas sejam espaços de oração e devem ser calmos e interferir o minimo com os fieis. Mas já pensaram nas igrejas medievais, podas coloridas e decoradas! Devo dizer que a igreja mais bonita que vi foi na Polónia. Uma igreja cujos interiores eram todos pinatdos de vermelhos, azuis, dourados! Era lindissima! Será que hoje em dia já não se sabe resolver este tipo de problemas e foge-se à questão assumindo uma postura mais racional? Não deveriam as igrejas ter algo mais emocional?

espero respostas!!!

Beijo!***

Anónimo disse...

Acho que nem é preciso perceber nada de Arquitectura para ter a sensação, a noção de que esta projecto (seja o autor de que escola for -se é que é de alguma...)é ABSOLUTAMENTE abstruso. Acho que nem em Marte teria lugar.
E se a ideia era a de procurar a forma de um barco o mesmo autor (creio) tem obra melhor (MUITO) nas redondezas do sítio da Expo 98.
E também podia ser um pouco mais HUMILDE (o que a Igreja parece apreciar...) mesmo se fizesse uma coisa como a igreja de Caxinas (Vila do Conde: um AUTÊNTICO barco em terra de pescadores. É simples, quase "naïf" mas enquadra-se no ambiente. Não sei quem é o autor, mas gosto dela há já uns bons trinta anos...
Busquem na net e entusiasmem-se.
Um abraço do Zé do Boné

OGC disse...

Atenção! PÁRA TUDO!

Temos entre mãos um caso inédito na história deste blog.
É com grande orgulho e entusiasmo que anuncio, em estreia mundial:

Eu e o Zé estamos de acordo!!! :D



;)

Anónimo disse...

O trabalho de madeiras é óptimo... Se bem que hajam alguns problemas de humidade. Mas já repararam que bem trabalhada está a luz no espaço? A escolha de abrir só a última abertura no topo.O que está a estragar a fotografia é mesmo a brincadeira que alguém andou a fazer na catequese (suponho que isto seja no desactualizado centro paroquial). Podiam-na ter desviado da fotografia e ficava muito melhor!

Anónimo disse...

NÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂÂOOOOOOOOOOO