05 março 2009

A Nova Praça de Lisboa






Arq. Pedro Balonas





























...e aqui podem ver o estado actual da praça

7 comentários:

Voltaire disse...

ultimamente (e fazendo clara referência à praceta amaro da costa do burmester) parece que andamos a inspirarnos nas ondinhas ou nos montes...

parec haver uma tentativa de criação de espaços ambiguos em termos de função (falando da cobertura s assim lhe podemos chamar) mas n sei se será por aqui, caramba, n é assim tão divertido andar a subir e a descer montinhos, e faltam percursos mais evidentes e uma zona ou outra nivelada, julgo k o conceito de praça não é bem, bem este mas de kalker das formas o espaço precisa de remodelação e precisa dela urgentemente, ptanto a ver vamos...

Voltaire disse...

(é óptimo é prós skaters, julgo k por eles a praça n ficará abandonada tão facilmente, mas se algum falha e se atira dakela cota pra rua das carmélias...o passeio vai ficar... err...colorido! xD)

Voltaire disse...

+ info:

Piso - 1
Além do parque de estacionamento, que se manterá em funcionamento, será criada uma área para cargas e descargas.

Piso 0
Acolherá a zona comercial, incluindo a livraria Byblos, e o Pólo Zero da Federação Académica do Porto.

Pisos 1 e 2
Contemplarão esplanadas, bares e um restaurante.

Cobertura
Às ondas, com zonas relvadas. Na cobertura ficará também o restaurante panorâmico.

(a bylos faliu e portanto está-se a tentar encontrar uma altrnativa)

OGC disse...

Pois, ia precisamente comentar isso. O efeito praça da Casa da Música continua a fazer-se sentir.
Construir-se-á em Portugal, num futuro próximo, algo que não seja às ondinhas?


É mesmo típicamente português, não é? 'Olha uma coisa gira! Bora espetá-la em tudo que é sítio!'...

(estou particulamente pessimista, hoje, é verdade.)

Mas de facto é como dizes. Entre isso e nada... venham as curvas! Pode ser que corra bem.

"A ver vamos".

Atenea disse...

É mais bonita agora, tão difícil era simplesmente a reparar?

Voltaire disse...

até seria mais fácil atenea, mas o problema permaneceria e o espaço degradaria-se mais uma vez.
é que o problema da solução actual, não se prende apenas com falta de manutenção, o espaço para ser comercial (como é o seu objectivo há anos, e como não desempenha essa função há anos) não pode, como está actualmente, estar virado sobre si próprio, fechado sobre a cidade e encontrar-se pouco fluido em termos de entrada e saída.

Encontrando-se numa zona frequentada por muita gente será de esperar um projecto que as convide a entrar e a usufruir do espaço, agora se a actual deve ir toda abaixo, isso é k já n sei, neste nosso país atira-se tudo abaixo, alisa-s tudo e constrói-se por cima, talvez um projecto sobre o projecto actual fosse o mais indicado e mais económico, mas pelo menos que se faça algo

OGC disse...

Exacto, eu também acho que seria de aproveitar o existente. Eu não conheço em pormenor, mas suponho que algumas adaptações nos pontos que referiste - ou noutros que fossem necessários - talvez resolvessem o problema.

No entanto, e reconhecendo a minha culpa também aí, acho que esta nossa atitude de 'olha, está mal e está, pelo menos pode ser que melhore' não contribui muito para o avanço do pensamento da nossa sociedade. Temos de aprender a ser exigentes. A não ficar contente só porque se vai fazer alguma coisa. Isso é bom, mas é só o começo. É preciso que o que se faz seja - muito - bem feito.